top of page
  • Foto do escritorStartup Altamap

Como usar drones no controle de daninhas

Essa é uma ferramenta que agiliza a identificação e localização da matocompetição.


Como usar drones no controle de daninhas

As daninhas são, sem dúvidas, um dos principais problemas enfrentados pelos produtores rurais de qualquer lugar do mundo. E as plantas daninhas não excluem nenhum tipo de cultura agrícola: se há uma plantação, ela estará lá.


E o que é pior: o custo do manejo vem aumentando ano após ano, por diversos fatores como:

  • Preço dos produtos agroquímicos (cotados em dólar)

  • Maiores quantidades por aplicação, já que as plantas vão ficando resistentes no longo prazo

  • Técnicas inadequadas de aplicação

  • Falta de rotação de culturas


A estimativa é que as fazendas com produção de grãos convivem com perdas de 13 a 15% das safras por conta desse problema. Os prejuízos podem ser grandes, já que essas plantas competem com a cultura agrícola por água, espaço, luz, além de nutrientes.


Além desse dano direto, as daninhas também podem causar alelopatia e danos indiretos, como:

  • Menor qualidade dos grãos

  • Menor quantidade de ATR (no caso da cana-de-açúcar, por exemplo)

  • Maior dificuldade na hora da colheita, exigindo mais do implemento agrícola


Diante desse cenário, demorar algumas semanas para identificar e pulverizar áreas com uma infestação de plantas daninhas pode custar muito caro para o produtor rural. Não dá para desperdiçar tempo indo de área em área e verificando se o talhão está com algum problema. O responsável pela lavoura precisa ser mais proativo.


A boa notícia é que dá para detectar mais facilmente as plantas daninhas na sua lavoura, descobrir as coordenadas geográficas delas e fazer a pulverização localizada com mais agilidade, usando drones.


Mais especificamente a agricultura de precisão com drones. Usando essa ferramenta aplicada à metodologia de AP, é possível mapear a lavoura e detectar ervas daninhas com rapidez e precisão, localizando o ponto exato onde elas estão. Também é possível identificar ervas daninhas resistentes que escaparam de um tratamento anterior, por exemplo.




Como usar drones no controle de daninhas

A metodologia base para essa identificação é a agricultura de precisão, que usa os drones como uma de suas principais ferramentas de campo, como falamos acima. Equipados com câmeras e outras tecnologias de sensores, eles conseguem medir a densidade de ervas daninhas e, em alguns casos, ajuda também na identificação da espécie que está ameaçando a produção.


Uma das formas de detecção de daninhas é através do mapeamento da área total e da geração de um mapa 2D com menor nível de detalhes, mas que aponta áreas com alterações visuais nas cores da plantação. Com essa informação em mãos, o(a) agronômo(a) da fazenda ou o agrônomo da Altamap vai até o ponto e faz a verificação da área, e do tipo de planta.


O mapa mais detalhado, com a geolocalização específica de cada daninha e a porcentagem da área que está sendo afetada por daninhas é gerado posteriormente no escritório.


Depois disso, também é feito um relatório agronômico com recomendação de princípios ativos de produtos para aplicação nas daninhas, a quantidade de produto que será usada na aplicação, entre outros detalhes.



Quando o drone pode atuar com as daninhas?

Existem períodos em que o drone pode atuar, fazendo o mapeamento aéreo da lavoura para auxiliar na detecção e no manejo das plantas daninhas. No plantio da safra de cana, por exemplo, não é necessário levantar um voo para detectar as daninhas. É possível identificá-las visualmente e fazer o manejo da infestação.


Mas no período de desenvolvimento da lavoura, quando a cultura atinge uma certa altura, a identificação começa a ficar mais difícil e o drone acaba sendo necessário. Em um caso real, usamos o drone para localizar uma mamona no meio de um canavial já desenvolvido, cujo acesso e visualização a olho nu eram impossíveis.



Área com uma mamona de mais de 3 metros.


E não adianta achar que as daninhas estão controladas depois de algumas aplicações de agroquímicos. A infestação é contínua e exige um manejo periódico, incluindo um monitoramento auxiliado por drones.


Esse apontamento é focado na cultura de cana-de-açúcar. Para cada cultura há variações de como identificar as daninhas. Em alguns casos, fazemos uma identificação de zonas com variação de coloração das folhas, o que pode indicar problemas com daninhas ou pragas.




Por que as daninhas são um problema tão grande para o produtor?

Além da detecção por métodos tradicionais ser imprecisa e gerar um custo alto com combustível para os veículos e tempo dos funcionários da fazenda, existe um desafio ainda maior no caso de encontrar plantas daninhas: elas se adaptam e se espalham facilmente.


Além disso, elas podem ficar no solo por longos períodos sem germinar, em um estado de dormência, o que dificulta ainda mais a identificação visual a olho nu. Com o drone, é possível identificar áreas com maior incidência de daninhas.


Os drones estão sempre sendo aprimorados e atualizados para tornar a vida do produtor rural mais prática. Os agricultores não estão mais dependendo dos métodos tradicionais e os que adotaram a agricultura digital estão obtendo melhorias significativas na produtividade, na qualidade e na rentabilidade.


 

Tem uma história sobre daninhas na sua fazenda? Conta pra gente nos comentários! Você já pensou em usar drones para identificá-las? Podemos te ajudar com isso.


Kommentare


bottom of page